11 3050.6300
DRA. ANA LÚCIA BELTRAME • CRM-SP 97.198
GINECOLOGIA, OBSTETRÍCIA E REPRODUÇÃO HUMANA

Gestação e atividade física – Qual a relação?

A mudança no padrão de atividade física da população é um assunto atual de grande relevância e, preocupação permanente diante dos problemas de saúde, sobretudo, associados ao crescente sedentarismo. Mas qual a relação disso com a gestação?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), adultos com a idade entre 18 e 64 anos necessitam praticar, no mínimo, 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de atividade intensa por semana, para o controle do peso e para reduzir o risco de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer de mama e cólon e depressão.

Quando falamos em mulheres grávidas, esta realidade não é diferente. Pesquisas também indicam que os benefícios de praticar atividades físicas na gravidez pelo menos 30 minutos por dia são vários, como: prevenção do diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e até mesmo o aumento das chances do bebê nascer de parto normal.

Gestação e atividade física - Qual a relação?

 

Benefícios da atividade física na gravidez

É imprescindível levar em consideração que cada mulher grávida tem as suas próprias necessidades e a decisão final deve ser sempre a do obstetra que a acompanha no pré-natal. Pois, é somente o médico que possui experiência e conhecimento para definir o que a sua paciente pode fazer ou não.

Entretanto, com a liberação para a prática de atividades físicas na gestação, a grávida só tem a ganhar abandonando o sedentarismo. Além da prevenção do diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e o aumento das chances do bebê nascer de parto normal, como citamos anteriormente, as mulheres grávidas:

  • Ganham menos peso;
  • Sofrem menos com dores nas costas e nas pernas devido ao fortalecimento da musculatura, prisão de ventre, fadiga e inchaço;
  • Têm um risco menor de desenvolver hipertensão;
  • Têm o condicionamento físico e o alongamento melhorados, facilitando o trabalho de parto;
  • Ganham em sensação de bem-estar e bom humor, pois a atividade física promove a liberação de hormônios, entre eles, a serotonina e a endorfina.

Moderação é essencial

Inicialmente, não existe nenhuma contraindicação para a prática de exercícios físicos na gestação. Principalmente, quando a gestante já possui um bom condicionamento físico, que proporcionará mais condições de manter um bom nível de atividade durante a gestação.

Em contrapartida, se a grávida não fazia nenhuma atividade física antes de engravidar – e por se tratar de um período de intensa adaptação do organismo – a recomendação da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) é começar gradativamente e fazer uma atividade mais leve, como natação, hidroginástica, ioga, pilates e caminhada.

Além disso, a opinião dos médicos é unânime nesse caso específico: as mulheres sedentárias só devem iniciar a prática de atividades físicas depois do terceiro mês de gestação, quando o embrião já se implantou e existe um menor risco de aborto.

Frequência e duração da atividade física na gestação

Mulheres grávidas, que já eram assíduas na prática de atividades físicas, podem conservar ou adaptar sua rotina de exercícios entre quatro a cinco vezes por semana em sessões de 30 minutos ou mais de exercícios.

Contudo, as gestantes previamente sedentárias devem começar com 15 minutos de exercício aeróbico três vezes por semana e aumentar gradativamente o tempo de exercícios.

Uma dica é acrescentar cinco minutos por semana até o recomendado de 150 minutos de exercício aeróbico por semana, ou seja, 30 minutos de exercício cinco vezes na semana. Devem ser evitados exercícios por períodos prolongados, por exemplo, além de 60 minutos sem intervalos.

Existe alguma atividade física proibida para as mulheres gestantes?

Com o passar dos meses, a recomendação é que a mulher grávida evite atividades físicas que possuem um risco potencial de queda ou de batida da barriga. Além disso, apesar de cada grávida ser analisada individualmente, é recomendável não praticar exercícios que elevem os batimentos cardíacos, ou seja, manter o limite de 140 batimentos por minuto.

Confira abaixo algumas atividades físicas que possuem risco para as mulheres gestantes:

  • Bicicleta: para a gestante que já tem o hábito de andar de bicicleta frequentemente dá para continuar pedalando até o segundo trimestre. Porém, depois desse período da gravidez, o recomendável é suspender este tipo de atividade, pois centro de gravidade muda e o equilíbrio fica fragilizado, assim, aumentando o risco de quedas. Já para as futuras mamães que não têm o hábito de andar por aí de bicicleta o melhor é evitar a atividade em qualquer período da gestação;
  • Esportes coletivos: Além do risco de queda, de choque com outra jogadora ou mesmo a possibilidade da bola bater na barriga, basquete e futebol são os esportes mais arriscados;
  • Andar a cavalo: mesmo que você ame a atividade não corra o risco de sofrer uma queda;

Gostou do conteúdo de hoje? Nos acompanhe nos canais sociais para receber conteúdos exclusivos.


Veja +


O perigo do tabagismo na gravidez
A importância da atividade física na gestação
Gestação e atividade física – Qual a relação?
Controle a pressão
Grávidas x imunização

<< Voltar