11 3050.6300
DRA. ANA LÚCIA BELTRAME • CRM-SP 97.198
GINECOLOGIA, OBSTETRÍCIA E REPRODUÇÃO HUMANA

Como saber se tenho endometriose?

Dor pélvica crônica, a longo prazo, especialmente antes e durante o período menstrual ou durante as relações sexuais, e ainda dificuldades para engravidar. Você sabia que estes são alguns dos principais sintomas da endometriose?

De acordo com o  American College of Obstetricians and Gynecologists (The College) – ACOG, a endometriose é uma desordem ginecológica crônica em que o tipo de tecido que forma o revestimento do útero (o endométrio) é encontrado fora do útero e afeta mais as mulheres entre os 30 e 40 anos. Porém, pode ocorrer em qualquer fase do período fértil feminino.

Ainda, de acordo com a ACOG, mulheres com uma mãe ou irmã que têm endometriose são mais propensas a ter a condição. Já aquelas que tiveram filhos têm menos chance. Além disso, aproximadamente 40% das mulheres que apresentam infertilidade podem ter endometriose.

Mas como a mulher pode saber se tem endometriose? Quais são os seus outros sintomas?

Como saber se tenho endometriose?

O desconforto da endometriose

A endometriose acomete aproximadamente, segundo o American College of Obstetricians and Gynecologists, uma em cada dez mulheres em idade reprodutiva.

Porém, muitas mulheres com endometriose não apresentam sintomas. Em contrapartida, algumas têm uma dor que tão intensa que as impedem de fazer suas atividades do dia a dia.

Sintomas da endometriose

Além da dor pélvica crônica, e ainda infertilidade, como citamos no início deste artigo, as mulheres com endometriose pode sentir os seguintes sintomas:

  • Dor durante a menstruação;
  • Sangramento menstrual intenso;
  • Dor durante os movimentos intestinais, caso a endometriose esteja presente no intestino;
  • Dor ao urinar, se a endometriose estiver afetando a bexiga.

É importante destacar que a intensidade da dor nem sempre corresponde à gravidade da endometriose. Por exemplo, muitas mulheres com dor leve podem ter um número maior de aderências, ou seja, cicatrizes que ligam as superfícies dos tecidos.

Entretanto, em outros casos, algumas mulheres podem não apresentar nenhum sintoma da condição. Neste caso, elas só percebem que tem a endometriose quando tentam engravidar e não conseguem ou mesmo durante alguma cirurgia.

Melhoras dos sintomas após a menopausa

A boa notícia é que os sintomas da endometriose, em grande parte dos casos, podem desaparecer ou melhorar após o período da menopausa. Isso acontece, porque, após a menopausa, os ovários param de produzir o estrogênio (hormônio feminino produzido nos ovários).

Consequentemente, se a produção do hormônio pára o crescimento da endometriose, na maioria das vezes, cessa e os implantes (que são as áreas de tecido endometrial que se formam fora do útero), geralmente, tendem a ficar menores.

Onde pode ocorrer a endometriose?

Os implantes ocorrem, na maioria das vezes:

  • Na área atrás do útero;
  • Nas trompas;
  • Nos ovários,
  • No peritônio, ou seja, a membrana que reveste a cavidade abdominal e envolve os órgãos internos;
  • Na bexiga, ureteres, intestinos e reto.

Como é realizado o diagnóstico da endometriose?

Um exame físico, que inclui exame pélvico, realizado por um médico especialista é uma das opções mais indicadas para o diagnóstico da endometriose.

Porém, a única forma de ter certeza se você tem ou não a endometriose é por meio de um procedimento cirúrgico chamado laparoscopia. No procedimento, é inserido através de pequenas incisões um laparoscópio, que é um instrumento para visualizar órgãos pélvicos, na cavidade pélvica.

Quais são os possíveis tratamentos para a endometriose?

Para os médicos definirem o tratamento adequado da endometriose é preciso levar em consideração a extensão da condição, a intensidade dos sintomas e se a mulher tem o desejo de ter filhos.

A endometriose pode ser tratada com medicação, cirurgia ou as duas opções. Quando a dor é a principal queixa da mulher, a medicação é a primeira opção na grande maioria dos casos.

Tratamento da endometriose com medicação

Analgésicos, como, por exemplo, anti-inflamatórios para aliviar a dor e medicamentos hormonais, incluindo pílulas anticoncepcionais, que contribuem para retardar o crescimento dos implantes, são os mais usados para tratar a endometriose.

Tratamento da endometriose com cirurgia

Ao longo da cirurgia, os implantes de endometriose podem ser removidos. A indicação de cirurgia é feita para abrandar a dor e melhorar as chances de a mulher poder engravidar.

Depois do procedimento cirúrgico, grande parte das mulheres tem alívio da dor. Porém, entre 40 e 80% delas podem voltar a ter o quadro de dor novamente, depois de dois anos após a cirurgia.

Reincidência da desordem ginecológica em casos graves

A desordem ginecológica tem maiores chances de voltar, quando mais grave for a endometriose da mulher. De acordo com o American College of Obstetricians and Gynecologists (The College) – ACOG, ingerir anticoncepcionais ou outros medicamentos após a cirurgia pode ajudar a prolongar o período sem dor.

Entretanto, em casos mais graves, onde a dor severa não cessa mesmo após o tratamento, uma histerectomia, ou seja, remoção do útero, pode ser indicada pelo médico especialista.


Veja +


Descubra o que é e como funciona a fertilização in vitro
Como saber se tenho endometriose?
Impotência sexual tem a ver com infertilidade?
Impotência sexual masculina
O que é endometriose?

<< Voltar