Pobres respondedoras são aquelas mulheres que respondem com poucos óvulos após uma estimulação ovariana. Na grande parte das vezes, essa baixa resposta é devido à baixa reserva ovariana. Então surge a pergunta: Será que, nestas mulheres, não poderíamos usar uma estimulação mais leve, com menos medicação, já que elas não possuem tantos óvulos para serem […]

Read More →

No Brasil os procedimentos de reprodução assistida são devidamente legalizados e permitem sua realização e registro legal dos filhos. Basta que após a realização do procedimento seja feito uma declaração da clínica, que se juntará à um processo que seu advogado deverá encaminhar na justiça para registro de sua descendência. É permitido o uso das […]

Read More →

O congelamento de óvulos pode ser uma importante opção para mulheres com uma variedade de condições médicas, tais como câncer em programação de tratamento, mulheres com endometriose que podem sofrer uma redução da reserva ovariana após a cirurgia, doenças autoimunes que requerem tratamento e mulheres com doenças genéticas levando a subfertilidade ou risco de menopausa […]

Read More →

Uma glândula do tamanho de um caroço de feijão pode ser um grande empecilho para mulheres que sonham ser mães! A hipófise entre outras funções, regula hormônios responsáveis pela ovulação. A disfunção hipofisária não é exclusividade das mulheres, a hipófise nos homens também é responsável por estimular a testosterona, hormônio que controla a produção hormonal […]

Read More →

Um dos grandes desafios da reprodução assistida são as pacientes com baixa reserva ovariana, ou seja, pouco número de óvulos. Os protocolos de estimulação tradicionais preconizam altas doses de medicação para obtenção do maior número de óvulos possível. Quando a resposta é muito ruim mesmo com uso de grandes quantidades de hormônio, uma alternativa é […]

Read More →