A pré-eclâmpsia é um conjunto de alterações patológicas que ocorrem na gravidez, cujo diagnóstico é feito pelo aumento da pressão arterial durante esse período.

Muitas complicações importantes estão relacionadas a ela, tais como, a restrição do crescimento do feto, a prematuridade, o descolamento prematuro da placenta, entre outras. Atualmente é a maior causa de mortalidade materna, em decorrência das formas mais graves da doença.

Sabemos que as pacientes de risco para a pré-eclâmpsia são beneficiadas pelo uso do AAS durante a gravidez, quando introduzido antes da 16º semana de gestação. Desta forma, diminuindo significativamente a incidência da patologia neste grupo medicado, ou de outra forma, levando a desenvolver uma forma mais branda da doença.