A chance de abortos aumenta com a idade da mulher devido à diminuição da qualidade dos óvulos e, consequentemente, menor eficiência da divisão celular.

Aproximadamente 1/3 de todas as gestações em mulheres com mais de 40 anos terminam em abortamentos.

Uma forma de se evitar estas perdas é o estudo pré-implantacional do embrião através de sua biópsia antes de coloca-lo no útero. Esta técnica somente é possível pelo tratamento de Fertilização “in vitro”.

É preciso saber que o aborto espontâneo é comum, a cada 5 mulheres grávidas há chance de 1 não conseguir dar continuidade a gestação por motivos naturais que vão além de sua vontade.

Malformações uterinas, pólipos, miomas e sinéquias podem estar relacionados a abortos de repetição. A avaliação uterina minuciosa faz-se sempre necessária nestes casos. Os exames habitualmente solicitados são: histerossonografia ou histeroscopia e ultrassom tridimensional ou ressonância magnética da pelve.

Apesar disso, quando o casal tem dificuldades de engravidar após algumas tentativas, é necessário buscar um médico para diagnosticar possíveis causas.

O aborto de repetição é algo que tem suas características e você deve se informar mais sobre.