Em tempos de crise de saúde publica é natural que mulheres que tenham planos para engravidar pensem em adiar esse sonho. Diariamente nos perguntamos quando será o fim de tudo isso e teremos nossas rotinas de volta. Temos sentido na pele a angústia dos projetos cancelados sem data e hora pra voltar.⠀

Mas e pra quem essa espera já é velha conhecida?⠀

E pra quem o relógio biológico não tem esse tempo pra esperar?⠀ ⠀
Nós, médicos da fertilidade, responsáveis por ajudar a formar famílias, lidamos diariamente com a dor da espera de casais com dificuldade de engravidar, com a angústia de mulheres maduras que temem perder seus óvulos, com tratamentos oncológicos que não podem aguardar a pandemia passar. ⠀
Quem e quando recomeçar os tratamentos?⠀

CONSIDERANDO que o adiamento dos tratamentos de reprodução assistida abrange determinados casos extremamente sensíveis ao tempo e, portanto, inadiáveis, com risco de condenar pessoas a uma infertilidade irreversível – ou seja, esterilidade; ⠀
e CONSIDERANDO o respeito à autonomia do paciente⠀
as sociedades especializadas regionais e internacionais RECOMENDAM que ciclos de reprodução assistida possam ser realizados sob juízo do profissional assistente, em decisão compartilhada com os usuários do serviço, de FORMA PERSONALIZADA.⠀

Se você faz parte do grupo de #tentantes converse com seu médico de referência que irá lhe orientar se você deve iniciar ou retomar seu tratamento. ⠀
Conte comigo para conversarmos! Conte qual sua angústia, quais expectativas, medos, dúvidas.⠀

Estamos aqui para ajudar!