Dores intensas durante a menstruação ou na região pélvica como um todo não são sintomas para se ignorar. Segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), de 30 a 54% das mulheres com sintomas como esses podem sofrer de endometriose.

Caracterizada como uma desordem ginecológica crônica, a endometriose acontece quando o tecido endometrial (tecido que reveste a cavidade uterina) é encontrado desenvolvendo-se fora do útero.

O diagnóstico é apresentado pelos sintomas e pelo toque vaginal realizado por um médico especialista. Pelo exame ginecológico muitas vezes é possível identificar irregularidades e modelações compatíveis com a doença.

Na suspeita diagnóstica, o melhor exame é o ultrassom transvaginal com preparo intestinal, a faixa etária mais comum para o aparecimento da endometriose é entre os 30 e 40 anos, quando normalmente a mulher já foi exposta a muitas menstruações e quando pode desenvolver sintomas mais proeminentes da doença.

A endometriose pode não causar nenhum sintoma clínico e somente resultar em infertilidade o tratamento pode ser com medicamentos para controlar e minimizar a progressão da doença ou cirúrgico para retirar as áreas afetadas pela doença.

Procure uma clínica de reprodução humana para maiores informações.